Depois de muita polêmica, a socióloga Kérsia Celimary Silvestre Ferreira, deficiente visual de 29 anos, tomou posse na manhã desta segunda-feira, 29, do cargo de telefonista auxiliar na Secretária de Estado da Saúde. Ela foi aprovada no concurso público em 2012, mas estava enfrentando dificuldades para assumir o cargo. A história foi contada no início de setembro aqui no SelesNafes.Com e ganhou grande repercussão nos veículos de comunicação.
No início do mês, a socióloga quase foi rejeitada pela junta médica da Secretaria de Administração do Estado depois um médico insinuou que sua deficiência poderia colocar a vida de pessoas em risco. Depois de provar que pode trabalhar (aliado a muita pressão da opinião pública), Kérsia foi considerada apta para o trabalho.
Kérsia ao lado mãe: a luta ainda não acabou
Kérsia ao lado mãe Maria Cely: a luta ainda não acabou
Depois de dois anos de espera, a socióloga foi chamada para assinar o termo de posse para finalmente ocupar a vaga para a qual se preparou e foi aprovada em concurso público. “Graças a Deus consegui essa vitória. Quero dizer que mais pessoas com deficiência devem lutar para que consigam alcançar seus objetivos assim como eu. Tem que lutar com a família e persistir. Agradeço imensamente a imprensa, mas principalmente ao site selesnafes.com que deu visibilidade ao meu caso”, agradeceu Kérsia.
Apesar da felicidade de Kérsia, a mãe dela, dona Maria Cely Silvestre Ferreira, de 55 anos, diz que a luta ainda não acabou. “Agora nós vamos acompanhá-la até a repartição que ela será lotada para observar as condições de trabalho. Minha filha tem o direito de ter um local de trabalho adequado e com as devidas condições para a limitação dela. A luta continua ”, declarou a mãe. Entretanto, para Kérsia, o pior já passou.