"Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e ideias por qualquer meio de expressão". (Art. 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada em 10 de dezembro de 1948)

domingo, 27 de julho de 2014

Receita do Domingo

Bolo de chocolate com Frozen Mousse Miss Daisy


Bolo de chocolate com Frozen Mousse Miss Daisy


Já imaginou um bolo de chocolate feito em poucos minutos? A Frozen Mousse de Chocolate com Coco Miss Daisy é o acompanhamento perfeito para esta sobremesa ficar irresistível!
 

Ingredientes






Modo de Preparo

  • 01
    Em uma vasilha, misture a farinha, o chocolate, o açúcar, a Qualy, o leite, o ovo e o fermento até formar uma massa homogênea. Despeje em um refratário próprio para micro-ondas (18 x 18cm) e asse na potência máxima, por cerca de 3 minutos.
  • 02
    Enquanto isso, decore 4 pratos com a geleia de uva. Quando o bolo estiver pronto, retire do micro-ondas, corte em 4 partes e coloque sobre os pratos. Complete com uma porção de Frozen mousse e sirva em seguida.
    Toque Especial
    Dependendo do tipo de micro-ondas, o tempo de cozimento do bolo pode sofrer variações. Para ter certeza de que está assado espete um palito na massa: se sair seco, está pronto. Para dar um toque especial à sobremesa, sirva com uma calda feita com 2 colheres de geleia de damasco diluída 2 colheres (sopa) de água. Aqueça levemente, misturando sempre, até formar uma calda. Esta calda também pode ser servida quente sobre o Frozen Mousse Miss Daisy gelado.

Informaçãoes Nutricionais

Valor Calórico566 kcal = 2369,73kJ
Carboidratos64 g
Proteínas5,80 g
Gorduras Totais32 g
Gorduras Saturadas9,60 g
Gordura Trans1,50 g
Colesterol50 mg
Fibra Alimentar2 g
Sódio221 mg
 

Assaltante Suspeito do assalta a Loja SHALK em São Paulo do Potengi


Um homem armado invadiu uma loja de roupas na cidade de São Paulo do Potengi, no interior do Rio Grande do Norte, e fez um arrastão no final da manhã deste sábado (26). De acordo com o proprietário do estabelecimento, Diego, Bakker, o suspeito ainda rendeu os dois funcionários e os trancou no provador.

Segundo Bakker, depois de trancar os funcionários o homem recolheu várias roupas que estavam nas prateleiras e as colocou e duas malas que também estavam à venda no estabelecimento. "Ele também levou o dinheiro do caixa", afirmou o empresário.

Diego Bakker diz que teve um prejuízo de R$ 10 mil em mercadorias, além da quantia em dinheiro levada, que ele ainda não calculou. Depois de recolher os objetos, o suspeito fugiu andando. A polícia segue em diligências na tentativa de encontrá-lo.
 
Do G1

ABC perde em Curitiba e fica atrás do América na classificação

O time alvinegro lutava para chegar ao G4, mas perdeu e agora figura apenas na oitava posição, atrás do maior rival.

parana_09O ABC perdeu para o Paraná de 1 a 0 e vê sua situação se complicar um pouco mais. As chances de entrar no G4 diminuíram muito, e o que é pior: o time agora figura atrás do rival América na tabela de classificação.
O Paraná respira no Campeonato Brasileiro da Série B. O clube paranaense encontra-se ainda na zona de rebaixamento, mas, neste sábado, voltou a conquistar uma vitória depois de cinco jogos de jejum.
Não foi uma atuação para se comemorar, o confronto foi fraco tecnicamente, mas a equipe paranista mereceu o triunfo. A vitória veio sobre o ABC pelo placar de 1 a 0, no Estádio Durival de Britto, pela 13ª rodada.
O gol da vitória foi marcado pelo zagueiro Alisson, aos 31 minutos do segundo tempo, de cabeça, em, falha de marcação do zagueiro Marlon, que acompanhou, mas não impediu o cabeceio.
O Paraná iniciou a partida desacreditado e lutando para voltar a vencer, fato que não acontecia há cinco rodadas. O jogo praticamente foi todo sem muita emoção.Com o resultado, subiu para a 17ª colocação com 13 pontos, a um do Oeste, primeiro integrante fora do descenso.
O ABC, por sua vez, perdeu a chance de emplacar duas vitórias seguidas e entrar de uma vez na briga pelo G4. A equipe potiguar termina a 13ª rodada na oitava colocação com 20 pontos, a três do Avaí, quarto colocado. O que é pior para o alvinegro: o resultado o coloca pela primeira vez no campeonato atrás do seu maior rival, América.
Atuando no Estádio Durival Britto, o Paraná teve um volume de jogo maior na primeira etapa, mas se destacou muito mais nas jogadas de bola parada, suas maiores chances.
Lúcio Flávio teve boas oportunidades de abrir o marcador, mas quando não parou em Gilvan, ficou na trave. Sua primeira chance de gol foi aos 27 minutos, quando arriscou de longe. A bola ainda desviou e ficou fácil para o goleiro adversário.
Antes disso, porém, os mandantes perderam duas oportunidades de surpreender o ABC, em chutes de longa distância de Chiquinho e de Tiago Alves, ambos foram defendidos pelo goleiro Gilvan, que também contou com a sorte na cabeçada de Ricardinho. A bola tirou tinta do travessão e foi para fora.
O ABC pouco fez e se segurou para não sair em desvantagem no placar. O clube potiguar não conseguiu furar o bloqueio adversário e pouco ameaçou o goleiro Marcos. O empate acabou sendo um bom resultado.
A temperatura caiu em Curitiba e a partida tomou o mesmo caminho. O Paraná continuou melhor, mesmo que sem muito brilho, mas o ABC se fechou, com a clara intenção de segurar o empate, o que fez com a partida ficasse muita truncada, e as chances de gols cada vez mais remotas.
Em uma das poucas chances de gol, o Paraná abriu o marcador, aos 31 minutos. Alisson apareceu como elemento surpresa, aproveitou o cruzamento da esquerda e cabeceou para o fundo das redes. |Marlon, zagueiro do ABC, marcou somente a bola.
Após ficar atrás no placar, o clube potiguar resolveu atacar e quase fez o gol de empate nos minutos finais. Lúcio Flávio fez bela jogada e arriscou o chute. A bola desviou no meio do caminho e bate na rede pelo lado de fora.
No outro jogo da noite, o Sampaio Corrêa venceu o Vila Nova de 2 a 0.
Jogos
Na próxima rodada, o Paraná enfrenta o Vasco no sábado, às 16h20, no Estádio São Januário, no Rio de Janeiro. Já o ABC enfrenta o América –MG no mesmo dia e horário, no Estádio Independência, em Belo Horizonte.

FICHA TÉCNICA

PARANÁ 1 X 0 ABC
LOCAL – Estádio Durival Britto, em Curitiba (PR)

GOLS – Alisson, aos 31 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO: Alinor Silva da Paixao (MT)
ASSISTENTES: Fabio Rodrigo Rubinho (MT) e Joadir Leite Pimenta (MT)
CARTÕES AMARELOS - Fábio Bahia, Lúcio Flávio e Marlon(ABC); Gustavo e Lucas Otávio
PÚBLICO – 3.308 pagantes
RENDA – R$ 48.340,00
PARANÁ: Marcos; Chiquinho (Carlinhos), Gustavo, Alisson e Breno; Lucas Otávio, Marcos Serrato, Ricardinho (Júlio Cesar) e Lúcio Flávio; Arthur e Thiago Alves (Henrique).Técnico: Claudinei Oliveira
ABC: Gilvan; Renato, Sueliton, Marlon e Luciano; Amaral, Fabio Bahia, Michel Benhami, Junior Timbo (Somália) e Xuxa (Lúcio Flávio); Gilmar (João Paulo) e Rodrigo Silva.Técnico: Zé Teodoro
*Foto: Site do Paraná Clube

Robério Paulino aposta no voto do eleitor jovem para quebrar hegemonia política no Estado

Candidato do PSOL diz que tem um sonho de ver um RN mais evoluído e desenvolvido economicamente.

Arte/Fladson Soares
Candidato do PSOL diz que tem um sonho de ver um RN mais envolvido economicamente e socialmente mais evoluído.

O portal de notícias Nominuto.com estreia neste domingo (25), uma série de matérias traçando o perfil dos candidatos ao governo do estado. Hoje é a vez do candidato Robério Paulino.
Em busca de ocupar uma cadeira no legislativo, o PSOL lançou a candidatura de Robério Paulino Rodrigues, mais conhecido como professor Robério, ao governo do RN.
O pleito do socialista se destaca pela conquista de apoio da juventude e da parcela mais consciente e escolarizada dos trabalhadores. “Temos mais de mil estudantes universitários que vão fazer campanha para nós de forma voluntária”, destaca Robério.
De acordo com o professor, sua campanha é motivada pelo sonho de ver um Rio Grande do Norte mais envolvido economicamente e socialmente mais evoluído. “Vou tirar o RN do atraso e da ignorância e lutar por uma profunda transformação social e econômica do estado”.
ROBERIO-H3

Nas eleições de 2014, o PSOL não formou coligação com nenhum outro partido e segue sozinho na disputa para Governo, Senado e vagas na Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados.
Carioca, da cidade de Nilópolis – RJ, mas de família potiguar, Robério tem 57 anos e nasceu em 29 de maio. Ele é professor doutor na UFRN, no Departamento de Políticas Públicas. Ex-aluno do IFRN, antiga ETFRN. É economista, formado pela Faculdade de Economia da USP, São Paulo, onde também concluiu seu doutorado em História Econômica. Desenvolve pesquisas sobre as estratégias de aceleração do desenvolvimento econômico e social dos países e coordena projetos de educação ambiental e arborização no estado.
ROBERIO-H2

Durante a juventude, quando trabalhava na área de pesquisa espacial, em São José dos Campos, SP, Robério Paulino se envolveu ativamente na luta contra a ditadura militar, foi perseguido, demitido e preso algumas vezes, pelo que hoje move um processo de anistia. Participou ativamente da Campanha das Diretas Já e da mobilização pela Constituinte de 1988. Chegou a ser dirigente sindical.
Por muitos anos foi professor em São Paulo, em colégios e universidades. Ainda em São Paulo, foi um dos 101 fundadores do PSOL, juntamente com Heloísa Helena e Luciana Genro, em 2004.
Voltando ao Rio Grande do Norte, por ser de família potiguar, além de sua atividade acadêmica na UFRN, tem participado ativamente dos movimentos sociais e ambientais, como as jornadas de junho de 2013. Em 2012, foi candidato a prefeito de Natal por uma Frente de Esquerda entre PSOL e PSTU, tendo obtido quase 4% dos votos, mesmo sendo pouco conhecido na cidade.

Candidatos ao governo apresentam suas propostas para melhorar a saúde pública

Portal inicia série de matérias com os cinco postulantes ao Executivo estadual e seus programas de governo.

Arte/Nominuto/Frankie Marcone
Nominuto apresenta uma série de matérias com as propostas dos cinco postulantes ao Executivo estadual.
Nas eleições de 5 de outubro, o eleitorado brasileiro volta às urnas para escolher seus novos governadores e vice-governadores, além dos senadores e respectivos suplentes, deputados federais, estaduais e distritais. No Rio Grande do Norte, de acordo com dados divulgados pela diretoria geral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), mais de 2 milhões de eleitores estarão aptos a votar no pleito deste ano.

Com o intuito de informar à população sobre os candidatos e auxiliar na escolha dos representantes, o Nominuto inicia neste domingo (27) uma série de matérias com os cinco postulantes ao Executivo estadual. Cada final de semana o Portal vai abordar junto aos governadoráveis um determinado tema e seus programas de governo para aquela temática.

Saúde será o ponto inicial da série que contará com as proposições de Araken Farias (PSL), Henrique Alves (PMDB), Robério Paulino (PSOL), Robinson Faria (PSD) e Simone Dutra (PSTU), todos registrados como candidatos no Tribunal Superior Eleitoral. A sequência das propostas seguirá a ordem alfabética e as informações foram repassadas pelas assessorias dos candidatos.

Araken Farias(PSL)
ARAKEM-H

O advogado natural de Campina Grande, Araken Farias do PSL defende, em suma, “a prevenção de jovens e adolescentes com a instalação de postos de saúde durante o período de matrícula para garantir a realização de todos os exames preventivos; criação do Mais Médicos RN, semelhante ao programa nacional, porém com o cadastramento de médicos locais e junto à cooperativas médicas para aumentar o número de profissionais nas unidades de saúde; construção de um hospital geriátrico para garantir melhor atendimento aos idosos; construção de um hospital de trauma para desafogar o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel; e ampliação da rede de distribuição de medicamentos. Hoje feita apenas pela Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat)”.

No Plano de Governo, o candidato “objetiva implantar políticas públicas para promoção à saúde (incentivo à prática de atividade física e a alimentação saudável) para redução da exposição a fatores de riscos (controle do uso do álcool, fumo, uso abusivo de medicamentos) e a articulação dessas ações com a atenção básica, fortalecer a vigilância sanitária e a vigilância ambiental, manutenção do combate sistemático das endemias e criação da Força Estadual de Saúde”.

Para que essas ações sejam implantadas, o advogado defende que “é necessário haver uma mudança na gestão da saúde, com o efetivo controle nos gastos e investimentos, criando uma fiscalização permanente. Além de apoio na implantação de novos modelos gerenciais e administrativos, que atendam às necessidades da nova realidade. Assegurar a qualidade dos serviços de saúde e humanizar as relações e vínculos entre as pessoas, com a redução das filas e do tempo de espera e ampliação do acesso às ações e aos serviços (estratégias de acolhimento, reorganização dos fluxos internos das unidades)”.

Outro ponto é a “implantação de um programa de reestruturação física das unidades de saúde em seus vários níveis de atenção, que supere a defasagem do padrão físico atual em relação às práticas modernas e humanizadas de atenção à saúde. Reestruturar fisicamente todas as unidades hospitalares de atenção especializada na área de urgência e emergência que são referência para o Estado. Levar o profissional médico aos municípios com carência deste profissional por meio de incentivos, associados”.

O candidato tem como propostas na parte do esgoto sanitário “o esforço prioritário em sanear 100% com a redução drástica das fossas sépticas; na preservação ambiental o tratamento do esgoto sanitário; promoção da cultura e conscientização da população quanto à limpeza ambiental; plano prioritário de conscientização da população da importância da forma correta de alimentação, base da nossa saúde, eliminando as doenças; criação de um Hospital de Trauma em Natal e um em Mossoró; posto de saúde nas escolas durante o período de matrícula para exames clínicos, odontológicos e nutricionais; campanhas educativas sobre o câncer de cólon, câncer de mama; orientação sexual para se preservar das inúmeras doenças infecto-contagiosas e evitar a gravidez indesejada; ampliação e recuperação de clínicas para recuperação das pessoas drogadas, promovendo a sua profissionalização; promoção de campanhas contra as drogas, o tabagismo e as bebidas alcoólicas; recuperação e ampliação dos 23 hospitais estaduais, com a criação de maisleitos hospitalares; e a criação de um Hospital Geriátrico”.

Araken também tem como proposições a “recuperação e ampliação das Unidades de Referência; ampliação os serviços dos médicos cooperados; instituir através de medida reguladora, o índice do Ph das águas de beber ofertadas no mercado para um nível benéfico ao corpo humano; ampliação da rede de laboratórios em saúde pública, principalmente, na constante análise da água potável utilizada nas cidades; tratamento preventivo contra os parasitas/vermes que habitam no corpo humano; e a facilitação da distribuição de medicamentos gratuitos fornecidos pelo governo às pessoas necessitadas”.

Henrique Alves (PMDB)
HENRIQUE-H

O deputado e atual presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves do PMDB, defende que “é fundamental em relação à gestão da política pública referente à saúde é que o estado deve ser visto como um todo. Não se pensando somente em cuidar de Natal e esquecendo o interior, ou o contrário”.

Henrique ressalta que “quando as demandas do interior não são atendidas em suas respectivas regiões, acontece a superlotação em Natal e o resultado é que em nenhuma parte o serviço é bem prestado”.

Para otimizar o serviço de saúde pública, o candidato conta que é “preciso constituir uma rede, em que os municípios tenham condições de oferecer o atendimento de baixa complexidade, que envolve a atenção a portadores de doenças crônicas, como o diabetes e a hipertensão, além dos cuidados às parturientes, entre outros”.

Para Henrique “o atendimento dos casos de média complexidade deve estar a cargo de um sistema hospitalar regional, que cubra todo o território estadual. Só os casos de alta complexidade devem buscar atendimento em Natal”.

E ainda “uma rede como essa permitirá que a população tenha à sua disposição um atendimento mais eficiente, evitando gastos desnecessários e o desconforto dos deslocamentos constantes”.

O deputado também aponta que é necessária “a criação de um novo hospital alegando que os técnicos vinculados ao serviço da saúde pública no RN são unanimes em afirmar que Natal precisa de um novo hospital de urgência e emergência. Não é segredo para ninguém que já existe um projeto para implantação desse centro hospitalar”.

O candidato enfatiza ainda que “as restrições fiscais do estado não podem servir de desculpas para privar a população de contar com esse hospital. Em outros estados, ou em projetos do governo federal, a solução encontrada foi buscar a parceria privada para cobrir os investimentos exigidos. Isso vem ocorrendo desde 2004, quando o presidente Lula sancionou a lei das Parcerias Público Privadas (PPPs). Por fim, Henrique conta que esse será o caminho que vou buscar no meu governo para melhorar a qualidade de vida das pessoas que precisam do governo”.

Robério Paulino (PSOL)
ROBERIO-H

O professor Robério Paulino do PSOL, destaca que dentre os inúmeros problemas do Brasil, um dos mais alarmantes, sem dúvida alguma, é a questão da saúde pública. “A precariedade do SUS (Sistema Único de Saúde), que atinge diretamente os brasileiros desde a falta de atendimento até a falta de medicamentos, a infraestrutura precária e etc. Contextualizando tal realidade a realidade dos potiguares, o quadro é mais alarmante ainda. A saúde pública do RN está jogada as moscas. Pessoas esperando atendimento, falta de leitos nos hospitais, sem infraestrutura, com o quadro de profissionais mal remunerados; problemas não faltam, e as resoluções têm caráter de urgência, haja vista, não podermos dispor das vidas humanas que se perdem a cada dia”.

Diante dessa realidade, o candidato explica que o plano de governo traz como prioridade a revitalização da saúde pública potiguar. “Não se pode permitir que seres humanos enfermos, sejam abandonados pelo poder público, e jogados a própria sorte. É urgente fortalecer os hospitais regionais reequipando e garantindo melhorias na infraestrutura, propiciando condições para os profissionais. Vamos reabrir as pediatrias dos hospitais Santa Catarina, Dioclécio Marques de Lucena em Parnamirim e o Pronto Socorro do Hospital Maria Alice Fernandes; o Centro de Saúde Reprodutiva e o Centro Clinico do Servidor Estadual (ITEP). Mas só isso é insuficiente: temos que melhorar a porta de entrada, e uma articulação com as prefeituras é fundamental para fortalecer a atenção primária”.

Um outro problema enfatizado por Robério, é a falta de remédios. “Muitas vezes o paciente consegue a consulta, porém, não consegue o medicamento prescrito pelo médico; como proposta para resolução deste problema, é a criação de um laboratório estadual de produção de remédios, visando baratear a produção, tornando de maneira gratuita o acesso à medicação”.

Com relação à melhoria no atendimento e às condições de trabalho da categoria, o professor considera fundamental a valorização salarial do servidor público, que nos últimos governos segue tendo seus direitos atacados. “Precisamos ampliar a contratação de médicos e demais profissionais da saúde, através de concurso público e carreira de estado. Com isso, torna-se viável, por exemplo, estabelecer a carga horária de 30h para os profissionais de enfermagem, uma luta histórica da categoria. É fundamental garantir, também na carga horária desses profissionais, espaço para estudo e para reuniões de equipe, além da formação continuada através de cursos de capacitação”.

Por fim, o professor disse que a saúde no Brasil nunca foi um direito pleno do povo, mas deve ser. “Para nós, isso deve ser rompido imediatamente e só será possível aumentando os investimentos. Defendemos 10% das Receitas Correntes Brutas da União (RCB) para a Saúde, com recursos provenientes da auditoria da dívida pública brasileira; da revolução tributária progressiva; da taxação de grandes fortunas e da taxação sobre grandes movimentações financeiras”.

Robinson Faria (PSD)
ROBINSON-H

O advogado e vice-governador do Estado, Robinson Faria do PSD, também enfatizou que o  setor saúde é um dos grandes problemas enfrentados pelos gestores públicos. E os problemas se acumulam de governo a governo sem soluções. É pensando exatamente nos problemas que têm que ser solucionados a curto e médio prazos, que o candidato montou o seu programa de governo baseado em cinco pactos: Pacto pela Paz (Segurança); Pacto pela Saúde; Pacto pelo Futuro (Educação); Pacto pela Eficiência (Gestão) e Pacto pelo Desenvolvimento.

No que diz respeito ao Pacto pela Saúde, o Robinson quer criar um ambiente favorável a discussão com a integração e o bom relacionamento com os  profissionais da área de saúde, com foco na construção das soluções dos problemas; adotar a estratégia de regionalização, através da construção e estruturação de regionais de saúde, bem como desenvolver uma política de qualificação e racionalização dos hospitais situados no interior do Estado; promover a harmonização dos convênios financiados pelo Fundo Estadual da Saúde com o Plano Estadual de Saúde e com os instrumentos de gestão do SUS (PDR, PDI e PPI).

“Implantar redes de atenção à saúde e do Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde (COAP); estruturar o sistema de regulação e o apoio técnico e financeiro do Estado para qualificação da rede de atenção básica no Rio Grande do Norte; melhorar os vínculos dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família; implantar um sistema de gestão hospitalar eficaz, de forma a permitir o monitoramento do Plano Estadual de Saúde e acompanhar a elaboração dos Planos Municipais de Saúde” são metas a serem alcançadas pelo nosso governo”, afirma.

De acordo com Robinson, é de fundamental importância ao futuro governo, estabelecer um novo padrão de qualidade no atendimento ao cidadão, através de ações concretas para a valorização da vida. Tirar do papel o novo Hospital de Trauma de Natal. Melhorar o abastecimento das unidades de saúde, além de transformar a medicina em carreira de Estado e ampliar a regionalização da saúde, qualificando e otimizando os hospitais do interior, com a criação ainda do Portal da Saúde, são objetivos do governo Robinson.

“Precisamos levar o SAMU a todos os potiguares e prestar apoio incondicional às entidades filantrópicas de saúde, haja vista hoje a crise que o Hospital Infantil Varela Santiago, em Natal, atravessa por falta de apoio e recursos financeiros”.

Observa Robinson que os hospitais estaduais de referência situados em Natal – Walfredo Gurgel, Giselda Trigueiro, Maria Alice Fernandes e José Pedro Bezerra –, bem como o Regional de Parnamirim – Deoclécio Marques de Lucena –, sofrem com superlotação, prestando assistência de qualidade questionável, em decorrência de estarem com pacientes internados sempre acima de sua capacidade assistencial.

Outro ponto a ser ressaltado pelo vice-governador é que a política de Atenção Básica encontra na Estratégia Saúde da Família o seu eixo principal, observando-se ao longo do tempo o seu progressivo fortalecimento e expansão. “É desta maneira que o Pacto pela Saúde vai atuar no governo Robinson Faria, finalizou o candidato.

Simone Dutra (PSTU)
SIMONE-H

A enfermeira e única mulher na disputa pelo poder Executivo no pleito deste ano, Simone, assim como os demais candidatos, destaca que o cenário da saúde atual não é dos melhores. “Todo dia notícias estarrecedoras estampam as manchetes dos jornais. Chegamos ao absurdo de ter 200 mortos por mês no Hospital Walfredo Gurgel, que não tem condições de atender todos os pacientes. Maternidades são fechadas, provocando o aumento das mortes de crianças e mães. Os servidores públicos da Saúde têm salários muito baixos e são obrigados a ter dois empregos e jornadas extenuantes de trabalho. Faltam 2.600 profissionais na rede pública de saúde do RN. A Saúde Pública está definhando”.

E ainda, conta que em contrapartida “a saúde privada cresce a todo vapor, surgem hospitais e clínicas privadas de luxo. A população é obrigada a migrar para convênios de saúde privada, pagando caro pelo atendimento”.

A candidata diz que tudo é proposital. “É feito em acordo com governos e empresários da Saúde. Os governos diminuem os investimentos na Saúde Pública, terceirizam a mão de obra, deixam minguar o SUS, para que a população seja obrigada a pagar pelo atendimento, quando a Constituição Federal diz que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado”.

Simone ainda denuncia que “nos últimos oito anos, houve uma queda nos gastos com Saúde no RN. Caiu de 15% da Receita Corrente Líquida em 2007 para 12,5% em 2012. É o descaso com a Saúde Pública. A Constituição indica o mínimo de 12% das receitas do Estado para a Saúde. Ainda que o Estado esteja dentro da lei, o atraso da Saúde Pública exige muito mais investimentos que o mínimo constitucional”.

Diante disso, Sinome defende a proposta de “duplicar os gastos do Estado com a Saúde Pública e não dar nem um centavo para a Saúde Privada. Nosso compromisso é investir, ao ano, 25% da Receita Corrente Líquida do Estado em Saúde Pública. Assim, seria possível, por exemplo, estender o atendimento do programa Saúde da Família para 100% da população do RN. Dessa forma, investindo na Saúde Preventiva da população”.

A candidata ainda completa. “A Saúde não pode ser uma mercadoria. A vida ou a morte das pessoas não pode depender de quanto dinheiro a pessoa tem no bolso”.
Ainda de acordo com Simone, a campanha será por uma “estatização da Saúde Privada e para que se invista 10% do PIB em Saúde Pública. Todos os hospitais, clínicas e infraestrutura de saúde devem pertencer e ser operados pelos governos federal, estaduais e municipais”.

De acordo com ela, o objetivo é “garantir o funcionamento do serviço, propomos ainda a realização de concurso público para contratar os profissionais de Saúde necessários a um bom atendimento à população. O Plano de Carreira dos servidores será cumprido, com jornada de 30 horas semanais”.

sábado, 26 de julho de 2014

Em busca do G-4, ABC enfrenta o desesperado Paraná

Enquanto o alvinegro briga pelo G-4, o time paranaense precisa da vitória para respirar na competição.

abc_fc_330O ABC tem mais um jogo decisivo na noite de hoje (26). O alvinegro potiguar vai a Curitiba, onde enfrenta às 21h o Paraná Clube no estádio Durival de Brito. O jogo é válido pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro série B.
A partida marca um duelo de times que estão em situações opostas no campeonato. O Mais Querido é o 5° colocado com 23 pontos e está na briga para entrar no G-4, já o rival paranaense está na 18° posição – zona de rebaixamento – com apenas 10 pontos.  Mesmo se vencer a partida, o tricolor ainda não sairá do Z-4, mas, chega aos 13 pontos e encosta no Oeste que tem 14.
Apesar da importância do jogo, as duas equipes tem desfalques para a partida de logo mais. O Paraná Clube não poderá contar com o atacante Giancarlo – que é o artilheiro da equipe com 4 gols. Além dele, o tricolor também terá o desfalque de outros dois jogadores, sendo eles: o zagueiro Anderson Rosa e o volante Cambará.  
O alvinegro potiguar também terá desfalques importantes, o atacante Dênis Marques – artilheiro da equipe com 4 gols é a principal baixa do time da Frasqueira. Mas, outros três jogadores também desfalcarão a equipe, são eles: João Henrique (atacante), Rogerinho (meia) e Camilo (goleiro). 
Escalações prováveis
Paraná
Marcos; Chiquinho, Gustavo, Alisson e Breno; Lucas Otávio, Ricardinho, Marcos Serrato e Lucio Flavio; Thiago Alves e Arthur. 
ABC
Gilvan, Renato, Suéliton, Marlon e Luciano Amaral; Michel Benhami, Fábio Bahia, Júnior Timbó e Xuxa; Gilmar e Rodrigo Silva.
Ficha técnica
Campeonato Brasileiro Série B (13ª rodada)
Paraná x ABC
Data: 26/07/2014
Horário: 21h.
Local: Durival de Brito (Curitiba)
Arbitragem: Árbitro: Alinor Silva da Paixão – MT (CBF 1), Assistente 1: Fábio Rodrigo Rubinho - MT (CBF 1) Assistente 2: Joadir Leite Pimenta - MT (CBF 2) e 4° árbitro: Edivaldo Elias da Silva – PR (CBF 1).

NATAL: ACUSADO DE VÁRIOS ROUBOS É MORTO NAS ROCAS


6u65u53u
Um adolescente identificado apenas por ‘Yure da Rua do Motor’, de 15 anos, acusado de vários roubos a ônibus, no bairro das Rocas e Praia do Meio, na zona leste de Natal, foi executado às 18:30 horas dessa sexta, com vários disparos de arma de fogo, na rua São Sebastião.
Segundo informações de policiais do 1º BPM, que fizeram o isolamento do corpo, a vítima foi abatida por dois homens que estavam em bicicletas, e fugiram em seguida.
Alguns populares, que não quiseram se identificar, disseram que os atiradores começaram a seguir Yure na rua Doutor Miranda, já efetuando disparos. Um dos tiros acertou um veículo Gol estacionado no local. Os matadores alcançaram a vítima na rua São Sebastião.
O adolescente era órfão de pai e mãe e residia com um parente na Rua do Motor, na Praia do Meio, e, há muito tempo, vinha praticando vários delitos na comunidade. Segundo a PM, a vítima era suspeita de ter se envolvido recentemente no roubo de um Vectra, que foi perseguido pela policia e abandonado no bairro de Santos Reis. Os bandidos fugiram.
O chefe de investigações da 2º DP de Brasília Teimosa disse que as empresas de transportes coletivos de Natal mandaram vários vídeos à polícia, onde Yure aparece roubando usuários e fazendo ameaças de morte a eles.
O corpo do jovem foi periciado pelo ITEP. As investigações do homicídio ficarão a cargo da 2º DP de Natal.

Fonte: Blog Patrulha Rocas

Com trator, agentes encontram túnel de 20 metros no maior presídio do RN

Com a ajuda de um trator tipo retroescavadeira, um túnel com aproximadamente 20 metros de comprimento foi descoberto nesta quinta-feira (24) ao lado do Pavilhão IV da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, a maior unidade prisional do Rio Grande do Norte. De acordo com o diretor Ivo Freire, foram os próprios presos - alguns que já haviam tentado escapar pelo buraco, quem denunciaram a localização. "Este túnel, segundo os apenados, foi escavado há pelo menos 4 anos. Só neste ano, eles já tentaram escapar por este túnel umas cinco vezes", afirmou. No início deste mês, uma revista de rotina já havia levado os agentes a encontrarem uma abertura que levava ao túnel descoberto nesta quinta. A tentativa de fuga aconteceu justamente a partir do Pavilhão 4. "O túnel era secundário e dava acesso a este, que era o principal. Com dois dias cavando, eles conseguiriam ligar as duas escavações”, disse o diretor na ocasião.Ainda de acordo com Ivo, assim que o trator começou a escavar as paredes do túnel cederam e o túnel desmoronou. "Tiramos a terra, colocamos pedras por toda a extensão do túnel e o cobrimos", acrescentou. A distância do Pavilhão 4 para o muro mais próximo é de uns 18 metros. Com a profundidade, o túnel passa dos 20 metros", explicou.

A última fuga 
A última vez que detentos conseguiram escapar de Alcaçuz foi no dia 3 de outubro de 2012. Na ocasião, dois foram recapturados e um morreu ao ser baleado com um tiro de fuzil. 

Alcaçuz 

A Penitenciária Estadual de Alcaçuz, localizada no município de Nísia Floresta, na Grande Natal, possui atualmente cerca de 900 homens, além de outros 350 detentos que estão custodiados no Presídio Rogério Coutinho Madruga (Pavilhão 5), anexo da unidade

G1

Mulher sobrevive e dá sinal de “tudo bem” com a mão após contêiner achatar completamente seu carro



Este é um momento incrível onde duas pessoas foram retiradas vivas de um carro que havia sido totalmente esmagado por um contêiner de caminhão que despencou. O acidente aconteceu em uma estrada na cidade de Qingdao, na China, quando um grande caminhão transportando o contêiner tombou, derrubando a sua carga sobre o carro. Os bombeiros estavam convencidos de que ninguém poderia ter sobrevivido ao acidente chocante, mas eles foram surpreendidos ao descobrir que, apesar de o veículo ser esmagado de forma quase irreconhecível, uma mulher podia ser ouvida pedindo socorro de dentro do metal retorcido e levantando os polegares para cima através de uma pequena abertura na janela para indicar que tanto ela como um amigo estavam, de alguma forma inexplicável, vivos. O porta-voz dos bombeiros, Chi Tang, disse: “Nós não esperávamos que alguém sobrevivesse, mas quando ouvimos a voz da mulher, foi emocionante e surpreendente”. “Tivemos de trazer um guindaste de 100 toneladas para termos certeza de que levantaríamos o recipiente cuidadosamente. O carro foi tão esmagado que eles tinham apenas 60 centímetros de espaço”, disse. Incrivelmente a mulher foi facilmente retirado dos destroços com nada além de alguns cortes e contusões leves. O rapaz sofreu uma contusão mais grave, mas ambos passam bem. O motorista do caminhão também foi hospitalizado com ferimentos leves.



DailyMail

Policiais plantonistas estão sem crédito nos cartões de alimentação há mais de 20 dias

SINPOL-RN protocolou ofício cobrando providências para regularização do serviço, que está em atraso pro causa de dívida do Governo do RN.


Foto: Divulgação / Sinpol-RN
Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.
O SINPOL-RN enviou um ofício, de número 110/2014, ao delegado geral da Polícia Civil, Adson Kepler, solicitando providências urgentes para o problema da falta de crédito no cartão alimentação (GreenCard) dos policiais plantonistas de Natal e interior do Estado. Há mais de 20 dias os cartões não são recarregados e o motivo seria uma dívida do Governo com a empresa responsável.

“Alimentar-se é necessidade básica à conservação da vida e, vale ressaltar, que esse cartão alimentação é um direito conquistado pela própria categoria, que já sofre tanto com outras dificuldades estruturais das delegacias. Por esse motivo, enviamos o ofício para a Degepol solicitando a regularização desse serviço, pois já são mais de vinte dias de atraso no repasse dos créditos no GreenCard”, afirma Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

De acordo com ela, a situação é de desconforto e revolta por parte das equipes de plantão e do Centro Integrado em Operações de Segurança Pública (Ciosp). Para não ficarem com fome, os policiais são obrigados a pagar a alimentação do próprio bolso.

“Essa recarga do cartão era feita sempre no início do mês ou até mesmo antes da virada do mês, para que os policiais possam se alimentar ao longo do mês em curso. No entanto, neste mês de julho, até este dia 25, ainda não foi feito”, ressalta.

Renata Pimenta declara que manteve contato com a diretoria administrativa da Degepol e foi informada que já foram feitos os lançamentos dos créditos, mas a empresa não liberou porque o Governo do Estado está em atraso com o pagamento mensal do contrato. Por isso, uma cópia do ofício também será encaminhada para a Secretaria Estadual de Segurança Pública.
*Fonte: Assessoria / SINPOL-RN